Tradição: Bons de Bola chamam atenção na Copa

Publicado em 25/10/2019 por Pedro Marques

A história nunca muda. São mais de 36 anos e, nesse tempo, a Copa Jovem Pan revelou grandes talentos para o esporte nacional, como Deco, Zé Elias, Juninho Paulista, Jô, entre outros. Atletas que serviram as camisas mais pesadas do futebol, inclusive a da Seleção Brasileira.

Em algumas quadras do torneio, é possível até mesmo enxergar olheiros, que buscam insistentemente os craques do amanhã. Afinal, não é uma Copa qualquer. É uma verdadeira vitrine, que voltou a figurar no cenário nacional no exato momento em que o esporte do país mais precisa de renovação.

”A Copa Jovem Pan é tradicional. Eu joguei quatro anos e tento passar a importância da competição para os alunos”, disse Ricardinho, bom de bola em seis oportunidades e que hoje comanda o Guilherme Dumont Vilares.

Na edição 2019, o fairplay entre os ”Bons de Bola” chama atenção. Craques dentro e, acima de tudo, fora de quadra, que buscam o mesmo objetivo: chegar até a decisão do próximo dia 11, no Ginásio do Estádio do Morumbi.